sábado, 15 de outubro de 2016

A fábula do "porque-as-coisas-são-assim"

Eram quatro crianças que brincavam. Joãozinha, Luizinha, Zezinha e Grandona.
Mas não era uma brincadeira comum. As crianças brincavam era de lutar, uma contra outra, umas contra as outras.

Na luta, vencia quem batesse, perdia quem apanhava. Quem vencia ficava feliz, quem perdia, triste. Mas mesmo assim, a brincadeira continuava, porque afinal, era assim que as crianças brincavam.
Acontecia que Grandona era a maior e mais forte. Se ela lutasse com Joãozinha, vencia. Se lutasse com Zezinha e Luizinha, também. Grandona sempre vencia e sempre batia nas outras crianças. Grandona ficava feliz com isso, e como é de esperar, as outras crianças ficavam tristes.

Um dia, foi Luizinha quem desabafou: "Não dá mais para brincar assim. Essa brincadeira não tá legal. Eu, Zezinha e Joãozinha sempre apanhamos. Isso não é justo!" Aquele dia, Luizinha foi pra casa incendiada por um sentimento chamado "as-coisas-precisam-mudar".
No dia seguinte, Luizinha reuniu-se com Joãozinha e Zezinha. Argumentou a tarde inteira, mostrando para as outras duas crianças como elas somente apanhavam, porque Grandona era mais forte. No fim, Luizinha apresentou uma solução: "Vamos nós três lutar contra Grandona. A Grandona consegue bater em cada uma de nós porque estamos separadas. Mas juntas, ela quem vai apanhar! Amanhã, será nós três contra ela, certo?" Zezinha e Joãozinha concordaram.

Quando se separaram, cada uma para sua casa, as três crianças voltaram pensando em como seria o dia seguinte. Luizinha, que formulou o plano, ainda estava inundada com o sentimento "as-coisas-precisam-mudar" e só ficou pensando no dia seguinte. Zezinha também, já que tinha se maravilhado com o plano de Luizinha e acreditava que "as-coisas-precisam-mudar".

Mas Joãozinha, porém, voltou pensando coisas diferentes. Joãozinha não tinha certeza se as três venceriam Grandona.

Agora, acontece algo mágico nessa fábula. É o momento de compreensão de Joãozinha. Se unirem as três, elas vencem a Grandona. Porém, e se na hora da luta, não se unirem as três? Se uma delas passar pro lado da Grandona, a que está do lado da Grandona é vencedora, enquanto as outras duas obviamente perdem. Claro, Grandona, para não arriscar perder para as três, aceitaria uma delas como aliada. Pois duas contra duas, com certeza Grandona ainda vence.
Joãozinha não sabe o que vão fazer Luizinha e Zezinha. Ela perderá a oportunidade se deixar que uma das duas mude de lado antes dela. Afinal, o que as três buscam é não apanhar mais, e a que mudar de lado primeiro obtém isso com mais certeza do que a dúvida das três unidas.

Joãozinha muda de ideia. Passa na casa de Grandona, conta o plano todo de Luizinha para Grandona, e propõe aliar-se a Grandona no dia seguinte. Grandona aceita, com a condição que ainda poderá bater em Joãozinha.

Dia seguinte, Luizinha se surpreende. Grandona e Joãozinha são aliadas e batem nas outras duas crianças. Luizinha pergunta: "mas porquê?"

Joãozinha sente algo diferente com essa pergunta. Ela batiza esse sentimento com a resposta que dá para Luizinha: "Porque-as-coisas-são-assim".